Ou navegue pelas categorias

Redes Sociais

Campanha política: 5 dicas para fazer marketing nas redes

Confira 5 dicas para desenvolver a sua campanha política nas redes sociais, seguindo todas as recomendações legais do TSE e Justiça Eleitoral

campanha política

A cada nova eleição, o uso das redes sociais para campanha política vem crescendo. Ano após ano é possível ver o marketing político ganhando força online.

Isso porque as estratégias de marketing político nas redes sociais acabam aproximando candidato e eleitor de uma forma que o marketing offline nem sempre consegue.

Por isso, fazer campanha política utilizando esses meios tem sido uma opção em que os candidatos estão apostando.

O ponto é que fazer marketing político e, principalmente, campanha política nas mídias sociais, não é tão simples quanto parece.

Além de diversas questões burocráticas, há também uma série de cuidados que devem ser tomados, tanto pelo candidato quanto por sua equipe, para que esses canais não acabem se tornando apenas um grande problema para ele.

Continua depois da publicidade

Por isso, separamos aqui algumas dicas práticas do que é preciso fazer para desenvolver sua campanha política nas mídias sociais.

Marketing político: 5 cuidados ao fazer campanha política nas mídias sociais

Se você é candidato ou está desenvolvendo algum trabalho de marketing para alguém que deseja se eleger, saiba que é preciso ter alguns cuidados ao usar as mídias sociais para fazer campanha política.

Além de obedecer a todas as normas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), há algumas boas práticas que precisam ser adotadas para que suas redes não se voltem contra você.

1. Mão dupla

Diferente de televisão, onde o candidato fala e o público apenas assiste e escuta, é preciso ter em mente que nas redes sociais a campanha política deixa de ser um monólogo.

Isso significa que o eleitor passa a ter voz e suas mídias se tornam um canal onde ele espera ser ouvido. Ou seja, é uma via de mão dupla.

Por isso, tanto o candidato quanto a sua equipe precisam estar prontos para responder dúvidas, questionamento e até críticas.

Além disso, é preciso ter total consciência de que qualquer deslize nessa tarefa pode gerar um grande problema na campanha.

Dito isso, se você não tem disponibilidade para manter essa troca com os eleitores, pense bem antes de abrir um canal de comunicação pelas redes sociais para fazer o seu marketing político.

2. Não aborreça as pessoas

Se você quer fazer campanha política nas redes sociais, precisa se lembrar de qual é o principio básico dessas plataformas e porque as pessoas as acessam.

Ninguém entra nas redes sociais esperando ver “santinhos” de candidatos, por exemplo. O que as pessoas buscam nas redes sociais é entretenimento.

Então, não faça das redes sociais um depósito de conteúdos do tipo copia e cola do que vai para o horário eleitoral da televisão ou de santinhos e panfletos.

O que você precisa é criar conteúdos que sejam do interesse dos seus eleitores. Use as redes sociais para despertar nas pessoas a curiosidade em conhecer o seu trabalho e suas propostas.

3. Ano bissexto

Já ouviu falar no candidato “ano bissexto”? Esse é aquele político que as pessoas dizem que só dá as caras de 4 em 4 anos e em época de eleições.

Então, não seja esse cara. Lembre-se de estar sempre presente nas suas redes sociais.

Além disso, se aparecer aquele colega de escola ou conhecido da academia pedindo voto e que nunca te deu nem um bom dia pelas redes sociais, também pode pegar muito mal.

Continua depois da publicidade

Ou seja, não use as redes sociais para tentar forçar uma presença que você não tem. Essa presença precisa ser construída e sim, isso exige tempo e dedicação.

4. Apareça

Outra dica que pode fazer uma grande diferença é aparecer.

Muitos candidatos contratam uma equipe para gerir suas campanhas políticas nas redes sociais e deixam tudo na mão de terceiros.

Eles tem lá um banco de fotos profissionais do candidato e criam artes super bacanas para fazer as divulgações, porém o trabalho acaba parando por aí.

Com isso, o potencial das redes sociais de aproximar o candidato dos eleitores acaba perdido.

Então, se você está tentando se eleger, separe um tempo para aparecer nas suas redes e conversar com o seu público.

Apareça nos Stories, faça transmissões ao vivo, mostre os bastidores do seu trabalho etc.

Saiba Mais: Transmissões ao vivo: 9 dicas essenciais para iniciantes

Isso vai criar um relacionamento entre você o seu público. Além disso, ajudará a fazer com que as pessoas criem confiança em você, pois estarão afetivamente acompanhando o seu trabalho.

5. Trabalhe com anúncios

Agora é possível usar as redes sociais para criar anúncios políticos. Utilizar esse recurso fará com que você alcance muito mais pessoas.

Portanto, se você tem uma verba que pode destinar para esse fim, recomendamos que o faça.

Continua depois da publicidade

Porém, isso não é tão simples. Existem uma série de regras rígidas que precisam ser seguidas. Essas regras são tanto do TSE e da Justiça Eleitoral, quanto das próprias redes, como o Facebook.

Por isso, se você optar por usar esse recurso, estude a fundo todas as legislações a esse respeito e faça tudo da maneira correta.

Lembre-se que, se você não seguir as regras e for eleito, poderá acabar perdendo o mandato.

No Facebook, por exemplo, foi instituído que todos que querem promover anúncios com conteúdo político precisam obter uma autorização por meio de um rótulo de propaganda eleitoral.

Essa regra começou a valer em 5 de agosto desse ano e sem o rótulo você não pode usar esse tipo de anúncio para divulgar materiais eleitorais. Nesse link você encontra todas as informações sobre isso.


Essas são dicas simples, mas muito importantes para quem quer trabalhar com marketing político nas redes sociais.

Lembre-se que campanha política está profundamente ligada à relacionamento e confiança. O ideal é que o candidato pudesse falar diretamente com cada eleitor, para tirar as dúvidas e convencê-lo a dar o seu voto.

Mas, como isso não é possível, as redes sociais são os canais que permitem que se tenha essa conversa e essa interação. Para que isso funcione, é preciso que elas sejam usadas de maneira responsável e consistente.

Todas as ações de marketing político e marketing digital feitas nas redes sociais precisam estar sincronizadas e de acordo com o restante da campanha eleitoral.

Então, se você é candidato ou trabalha para um, não economize espaço para transformar as redes sociais, seja página do Facebook, perfil no Instagram ou até mesmo WhatsApp, em verdadeiros canais de relacionamento com o eleitor.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Você também pode gostar

Artigos Relacionados

Artigos patrocinados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial