Congresso Search e Vendas: um resumo do que vi (parte II)

Venda mais | Nenhum comentário

Na semana passada compartilhei no post “Congresso Search e Vendas: um resumo do que vi (parte I)” os principais temas e tópicos abordados nas quatro primeiras palestras do Search e Vendas 2013. Hoje trarei o conteúdo visto nas palestras da parte da tarde. Após o almoço, o auditório foi dividido em três, onde cada divisão tinha um tema. O auditório azul abordou os temas “Marketing e Personalização”. O verde tratou de “Pós-venda e Relacionamento”. Por fim, o auditório amarelo teve como temas “Search e canais de Vendas”.

Omni-channel Retailing: como oferecer uma experiência única para os seus clientes

Maurício Bastos, Gerente de e-commerce da Schultz e Gabriel Lima, CEO da eNext.

Minha primeira palestra depois do intervalo foi no auditório verde. Confesso que o que me atraiu para esta palavra foi o termo “Omni-channel”, algo que até o momento, não fazia ideia do que era. A palestra começou com o Gabriel, da eNext. Para minha alegria, um dos primeiros pontos da fala dele foi, justamente, a conceituação de omni-channel. Omni-channel, nada mais é do que “a experiência que o consumidor tem com a sua marca. Sua marca estar com ele em diversos pontos de contato”.

Falando sério, o nome é muito mais pomposo do que o próprio conceito, já que não é algo tão novo assim falar de experiência e pontos de contato. Ok, indo adiante, o Gabriel trouxe vários dados bem interessantes sobre o segmento de moda e calçados, no que diz respeito ao uso do mobile. A respeito disso, o Gabriel disse algo que não poderia concordar menos: “Todos falam do ano do mobile. O ano do mobile chegou. Não é 2013, mas foi 2012”. Acredito que os dados trazidos vão ajudar a entender porque.

Segundo os dados do Gabriel, a partir dos resultados de clientes da eNext, o volume de acessos a sites via mobile pulou de 1,6% em 2011, para 14,7% em 2013. Aqui o mais interessante: a proporção das receitas da empresa em vendas mobile foi de 2,4% em 2011, para 26,4% em 2013. Lembrando que são empresas do segmento de moda e calçados.

Gabriel Lima-enext

Na sequência, o Gabriel trouxe o conceito de couch commerce. Também chamado de bed commerce, é um novo comportamento dos consumidores via mobile. Comprar enquanto assistem TV ou estão na cama. Para concluir, o Gabriel trouxe a chamada régua de relacionamento, que seria o posicionamento da empresa (tone of voice), para promover, justamente, esta experiência em todos os pontos de contato uniformemente. Fechando sua fala, mais um conceito interessante trazido pelo Gabriel: Organic Marketing, que se resume em:

  • Onde a marca se situa;
  • Quem é a marca;
  • Conexões emocionais com a marca;
  • Desafio: transmitir toda a experiência.

Para resumir, a palestra apresentou o conceito de omni-channel, a importância do mobile para o setor de moda e calçados e como é importante a marca se preocupar em ter o mesmo posicionamento em todos os pontos de contato com o cliente. Antes de encerrar, o Gabrie trouxe duas dicas quentes para quem é do varejo: visão 360º do produto aumenta em 30% a conversão. Se você vende calçados, vá atrás do Shoefitr para sua loja.

Mobile Search: estratégias, cases e ferramentas

Terence Reis, Diretor de Operações da Pontomobi

De longe a palestra mais interessante. Por que Camila? Você pode estar se perguntando. Para mim, foi muito interessante pelo fato de muita coisa que vi, nem sequer passava pela minha cabeça. Você, por acaso já se perguntou a importância de ter um aplicativo bem posicionado na busca da AppStore? Se você vive de vender este app, certamente precisa se preocupar. A palestra do Terence começou com dados bem interessantes:

  • 30% das buscas no Google são feitas via mobile;
  • 50% dos visitantes de um site preferem a versão mobile desta página;
  • Buscas via mobile cresceram 5x em dois anos.

Por isso, o tema da palestra foi SEO para mobile e algo novo para mim, o conceito ASO: AppStore Optimization.

SEO para mobile

Na primeira etapa, Terence abordou algumas técnicas e estratégias de SEO para mobile. O primeiro ponto que devemos nos preocupar é desmitificar que o comportamento no desktop e mobile são iguais. Desta forma, a dica número é para SEO no mobile é dividir seu site em contato, cardápio, telefone, endereço. Assim, quando alguém buscar pelo seu restaurante, por exemplo, terá acesso rápido aos links que interessam.

Outro mito derrubado pelo Terence foi o de que os resultados no Mobile e desktop são os mesmos. Ok, isso não é uma grande novidade, mas as dicas dadas para ajudar na sua otimização são bacanas. Existem três formas de se fazer um site mobile:

  • Responsive Design;
  • Redirect;
  • Linkagem paralela.

Segundo Terence, o Google favorece o modelo Responsive Design. Por isso, já temos um ponto de partida para otimizar seu site. Por onde começar? Palavras-chave são um bom começo e, de acordo com o que vi, utilizar palavras-chave menores para otimização mobile é importante. Afinal, ninguém quase procura por “carros usados vermelhos Curitiba parana”, pois é um termo muito longo para escrever no mobile. Foque em palavras com até 15 caracteres e ações claras: comprar, alugar, comer… Sem contar o SEM, onde anúncios para mobile precisam ter CTA e formatos específicos para a busca pelo celular.

Foto by KaduFilms WebVideo
Foto by KaduFilms WebVideo

ASO: AppStore Optimization

Esta etapa foi muito bacana, pois o Terence apresentou algumas técnicas e estratégias para otimizar aplicativos para a AppStore. Vimos na palestra anterior que 2012 foi o ano do mobile e eu, acredito muito no futuro dos Branded Apps, ou seja, cada empresa, ao invés de um site, terá um aplicativo para celular. Saiba mais no texto “O futuro é mobile? Saiba o que os Branded Apps têm a ver com isso”. Por isso, se sua empresa tem ou oferece aplicativos, saber como posicioná-los na AppStore é muito importante.

O primeiro ponto abordado pelo Terence foi que na ASO nem tudo é busca. Posicionamento é muito importante. Isso porque, na AppStore temos os rankings dos aplicativos na loja, além da busca. A partir disso, entramos em dicas e estratégias de otimização para a AppStore. O que influencia ou não nos resultados:

  • Palavra-chave no título: influencia;
  • Texto descritivo: não influencia;

Desta forma, não adianta lotar a descrição palavras-chave. Basta otimizar o título. Porém, não é só isso que conta na AppStore. Se as pessoas baixam seu app, deletam ou não usam, você perde pontos no ranking e pode perder posições. Por isso, uma dica quente do Terence é focar suas estratégias de marketing nos primeiros 4 dias de lançamento do aplicativo para fazê-lo “bombar” e se estabilizar no topo. Integrar com o Open Graph do Facebook para ajudar a divulgar e ter mais downloads, é uma boa.

Para concluir, Terence trouxe algumas dicas de sites e ferramentas para se aprofundar mais no tema de otimização mobile para AppStore e Google Play:

Para saber mais sobre o tema, acompanhe o Terence no SlideShare.

Arquitetura da Informação para a navegação perfeita no e-commerce: posicionamento, estilos e aumento da conversão

Amyris Fernandez, Líder e UX do Buscapé

Amyris subiu ao palco e já deixou claro seu estilo “meigo” de trabalhar. Sem rodeios, começou sua falando sobre a presença indissociável do mobile em nosso cotidiano e o grande desafio das empresas é se relacionar com novos hábitos de consumo. O interessante da fala da Amyris, que consegui captar, é que não devemos falar de classes sociais, hábitos de classes, mas sim, hábitos de consumo. Uma frase bacana foi que “a classe C é a mesma das outras, só tem a limitação financeira”. Em outras palavras, não divida as pessoas por classe social, mas como ela se comporta na compra.

Amyris Fernandez

Amyris seguiu com insights interessantes sobre a UX (User Experience), como a lembrança de que não existe digital e real, é tudo a mesma coisa. Para concluir, Amyris trouxe algumas ferramentas úteis para ajudar no estudo do comportamento do consumidor em seu site:

Sucesso de vendas no e-commerce

Roni Bueno, vice-presidente Global de Marketing e Publicidade do Terra

Infelizmente, peguei apenas um trecho da palestra do Roni. Mas, é um grande nome do e-commerce nacional e extremamente ligado em tudo o que acontece. Como o auditório estava lotado e cheguei quase no fim, compartilho com você a palestra do Roni no Fórum E-commerce Brasil de 2012. Nela, é possível conhecer um pouco mais do trabalho do cara e como ele ajudou a transformar a Netshoes em uma potência do varejo. O que é um pouco do tema desta palestra do Search e Vendas

httpv://www.youtube.com/watch?v=aoyy1Oqixr8

Facebook orientado ao e-commerce: A nova era do Facebook com produtos e ferramentas para comércio.

Adriana Mesquita, Client Partner do Facebook Brasil

Óbvio que esta era a palestra que mais estava esperando no evento. Afinal, Facebook é meu core e preciso saber tudo o que há de novo e oportuno para sua utilização nos negócios. A Adriana começou sua fala apresentando o quanto o Facebook se constitui em uma plataforma de negócios integrada, pois possui:

  • Muitas pessoas;
  • Pessoas engajadas;
  • Pessoas conectadas;
  • Várias formas de se comunicar com as pessoas;
  • Formas de medir a eficácia da sua comunicação.

Sendo assim, no que diz respeito as empresas, o Facebook contempla várias frentes e formas de conversar com seu consumidor. Adriana trouxe também alguns dados interessantes sobre o Facebook no Brasil:

  • Os brasileiros usam a rede, em média, 8 horas por mês;
  • 20% visitam sites, a partir de anúncios, para comprar;
  • 80% visitam site, a partir de anúncios, para saber mais sobre um produto.
Foto by KaduFilms WebVideo
Foto by KaduFilms WebVideo

Facebook Ads

Dando sequência, Adriana entrou no tema dos Anúncios no Facebook. Estes são uma das principais formas das empresas conseguirem visibilidade para seus produtos ou serviços. A fala da Adriana no tema “produtos e ferramentas próprias para o comércio” teve como objeto a utilização de alguns recursos para ampliar os formatos de anúncios e formas de mensuração, como:

Plugins sociais

Adriana também abordou a importância dos plug-ins sociais em sites de e-commerce (também falamos sobre isso no curso Estratégias de Vendas no Facebook). A possibilidade de usar estes recursos é muito importante em dois momentos: oferecer a possibilidade do cliente se cadastrar com os dados do Facebook e, no pós-compra, sugerir que ele curta a página da empresa, por exemplo.

A mensagem final da Adriana foi: Conecte-se, engaje e influencie, assim você terá mais fidelidade e rentabilidade ao longo prazo. Algo que, segundo o estudo “Power of Like”, da ComScore, aponta que fãs de marcas no Facebook gastam mais em relação aos não fãs.

Fim

Este foi um resumo do Search e Vendas 2013 sob minha perspectiva. Sem dúvida, foi um evento incrível, com conteúdo de primeira e muitas possibilidade de conhecimento e network. Para completar meu dia, conheci a incrível Sandra Turchi e me despedi de São Paulo com uma sensação de agradecimento enorme, por reunir tantas pessoas legais em um mesmo lugar.

Tags:
  • e-commerce brasil
  • ecommerce
  • eventos
  • search e vendas
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...

Pesquise no blog

VOCÊ PODE GOSTAR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.