Entrevista: Como atuar nas redes sociais – Diário de Pernambuco

Redes Sociais | 9 Comentários

Dia 24 de novembro tive a oportunidade de estar em Recife para ministrar o Curso de Estratégias de Vendas no Facebook.  Na ocasião, Sarah Eleutério estava presente e marcamos uma entrevista. A entrevista foi publicada na coluna Giro Publicitário, do Diário de Pernambuco, comandada pela Sarah. Como ela é restrita a assinantes, compartilho com vocês minha participação na íntegra.

Se preferir, acesse a edição em PDF aqui.

Boa leitura!

Por que as empresas precisam estar nas redes sociais?

Em linhas gerais, é onde os clientes e consumidores estão. O número de usuários nestes canais e é muito elevado e, além de utilizarem as ferramentas para se relacionar com amigos, é um canal utilizado para expor nossas experiências de consumo. Assim como fazemos no mundo “off-line”, ou seja, comentamos sobre como foi a experiência de compra com nossos amigos e conhecidos, por exemplo, nas redes sociais esse comportamento é muito frequente. Além de contemplar então estas possibilidades, as empresas podem se aproveitar da utilização destes canais pelos seus clientes para criar uma empatia ou proximidade com ele. É uma mudança social e comportamental que demanda as empresas estarem nestes canais.

 É recomendada a adaptação do site no Facebook?

 Depende dos objetivos da empresa com a ferramenta. Se a empresa adaptar o site ao Facebook com diferenciais que irão torna-lo mais interessante na rede do que no site normal, sim. O que acontece é que muitas pessoas apenas replicam e colocam o mesmo conteúdo e formato no Facebook. Sendo assim, é muito provável que isso não surta efeito. Devemos nos lembrar sempre que apesar do Facebook ter um volume de usuários bem elevado, um site pode contemplar as estratégias de uma empresa nos buscadores, por exemplo, algo que o Facebook não permite que se faça com tanta facilidade. No entanto, se sua empresa não tem site ou verba para criar um, o Facebook pode ser um primeiro passo, uma forma de agregar conteúdo de forma mais barata e acessível. Porém, se sua empresa já possui site, é importante lembrar que dependendo do seu público, ele pode não estar habituado a usar o Facebook para buscar informações ou comprar por exemplo. Por isso é importante ter cuidado. Além de tudo isso, lembre-se: o Facebook não é da sua empresa, ele tem dono. Se acontecer algum deslize, infringir alguma norma de uso da plataforma, por exemplo, sua página pode ser apagada.

Como diferenciar a atuação no site dos trabalhos realizados no Facebook?

Tudo depende dos objetivos de cada um dos canais. No Facebook as empresas geralmente focam em relacionamento e gerar tráfego para o site da marca. O site acaba se tornando um canal mais institucional, por exemplo, e o Facebook um local de interação. Mas é extremamente importante a empresa realizar a ligação entre as estratégias nos dois canais. De nada adianta ter um Facebook para a marca e isso não estar bem visível no site, por exemplo e vice-versa. O mais importante aqui então é ter bem claro os objetivos de cada canal.

Em geral, as empresas no Brasil estão sabendo utilizar o Facebook de maneira correta?

Isso eu acho bem relativo, o que é correto ou não. Cada um tem um negócio, metas e formas de usar a ferramenta. Mas de pequenas a grandes marcas, muitas erram em suas estratégias, seja no conteúdo, seja no atendimento, seja até no momento de criar a presença da empresa, criando um perfil para empresa, por exemplo. Ainda temos uma lacuna muito grande na formação dos profissionais, que podem saber muito bem a construção de uma estratégia, mas por não conhecerem as regras e todos os recursos do Facebook, acabam não utilizando a ferramenta em sua plenitude ou copiando estratégias já batidas.  Muitos não sabem os termos da plataforma e criam ações, promoções e conteúdo que não é permitido pelo Facebook.

Que grandes deslizes normalmente são cometidos nas redes sociais pelas empresa?

O mais comum é a criação de promoções que não são permitidas pelo Facebook. Ações de curta e compartilhe por exemplo, são amplamente utilizadas, mas todas estão fora das regras do Facebook e podem criar grandes problemas para uma marca. Ainda temos muitas empresas com perfil, algo que demonstra falta de conhecimento da ferramenta e falta de profissionalismo de uma presença adequada na rede social. Além disso, há empresas que utilizam a ferramenta da forma correta, mas não possuem uma cultura para mídias sociais integrada com a cultura da empresa. Então, temos muitos descompassos entre a atuação do marketing e comunicação nas redes sociais com outros departamentos, como jurídico, atendimento, logística, comercial. Assim, problemas nestes pontos do ciclo de venda acabam prejudicando a presença da empresa nas mídias sociais.

Quais os exemplos de ferramentas e aplicativos que podem auxiliar as empresas que têm fan pages? Para que serve cada uma?

Existe uma infinidade de aplicativos que podem ser utilizados, mas cada um executa uma tarefa e esta tarefa diz respeito aos objetivos da empresa com ele. É importante sempre ter bem claro os objetivos da fan page e como um determinado aplicativo pode auxiliar.

É importante contratar uma assessoria ou especialista para cuidar do Facebook da empresa, ou os próprios funcionários podem administrar?

Contar com a ajuda de profissionais é sempre bem-vindo, mas isso é uma decisão da empresa e do responsável pela gestão da presença no Facebook. É importante que ele conheça seus pontos fracos e fortes e pondere a necessidade de ter uma empresa que faça isso para ele. Hoje muitas empresas possuem bons profissionais que trabalham dentro da empresa que conhecem a missão, visão e valores, por exemplo, e podem explorar isso com mais propriedade. O fato de uma empresa se dizer especialista não significa que ela realmente seja boa no que faz. Vemos muitos casos de agências renomadas com vários erros na gestão de seus clientes. O interessante então é avaliar o custo de ter uma empresa terceira, se sua equipe realmente não teria condições de fazer o gerenciamento ou se sua empresa não tem conhecimento para tal. Caso precise de uma empresa, busque informações sobre as que mais interessar, pesquise a reputação, o cuidado que ela tem com as marcas que gerencia e se realmente os profissionais desta empresa são responsáveis e cuidarão da sua empresa com cuidado.

De que maneira a atuação no Facebook pode ser uma estratégia de marketing?

De diversas maneiras. Seja com relacionamento, seja com engajamento seja com formas de publicidade. Existem várias possibilidades de uso da rede que abre um grande de leque de oportunidades  Não há fórmula do sucesso, nem no Facebook, nem em qualquer lugar. Tudo é questão de conhecer seu publico, o que ele quer da sua empresa, como sua empresa pode explorar seus pontos fortes na rede e melhorar a vida do seu consumidor para ser vista como diferente dos demais.

Tags:
  • diario pernambuco
  • entrevista
  • Marketing
  • marketing digital
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...

Pesquise no blog

VOCÊ PODE GOSTAR...

9 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.