Mapas no Linkedin: Como sua rede de contatos se parece?

Redes Sociais | Nenhum comentário

O Linkedin vem investindo em novas formas de visualização de conteúdo dentro da rede. Particularmente, eu gosto da forma como as informações são inseridas e compartilhadas dentro da rede social focada no mundo corporativo. Agora, o Linkedin oferece o Linkedin Maps, uma forma muito interessante de visualizar suas conexões e como elas se conectam com conexões de outros usuários.

No vídeo a seguir é possível ver como o recurso funciona:

Como funciona II

Em linhas gerais, o Linkedin Maps mostra como a sua rede de contatos está estruturada. A partir de conexões entre você e seus contatos, o sistema exibe as conexões compartilhadas em sua rede. A minha rede de contatos no Linkedin, de forma visual, se configura assim:

A partir da inserção de rótulos na caixa do canto inferior esquerdo, é possível criar legendas e saber os principais grupos de contatos no seu Linkedin. Ao clicar em um contato, é possível saber quais as conexões compartilhadas há entre vocês, ou seja, quem são os colegas em comum.

Diagramas das redes

O excelente livro Redes Sociais na Internet, da Raquel Recuero, exibe na página 56 o Diagrama das Redes de Paul Baran. Dividido em três modelos, temos as redes centralizadas, descentralizaas e distribuídas. Cada uma das redes possui propriedades de distribuição de informação dentro da rede.

A minha rede, por exemplo, se enquadraria no modelo descentralizado, o qual, segundo Recuero, “é aquela que possui vários centros, ou seja, a rede não é mantida conectada por um único nó, mas por um grupo pequeno de nós, conecta vários outros grupos (p.57)”.

O mais legal do Linkedin Maps é justamente isso, conhecer a estrutura de sua rede de contatos e como a informação tende a circular entre ela. No entanto, o diagrama de uma rede de contatos não define exclusivamente como a informação circula, pois muito disso depende também de como a interação se dá entre as pessoas.

Conhecer um pouco mais o lado teórico das redes sociais é essencial para que possamos usá-las na prática. Contudo, lembre-se: as redes sociais existem desde que os homens vivem em grupo e não é uma coisa nova, muito pelo contrário. Porém, com a internet abre-se um campo novo para pesquisa e teoria, que precisam ser levados em consideração especialmente na prática.

Para baixar o livro da Raquel Recuero, acesse o site Redes Sociais.

Até a próxima!

Fonte: Mashable

Tags:
  • inmaps
  • linkedin maps
  • mapas do linkedin
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...

Pesquise no blog

VOCÊ PODE GOSTAR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.