Quem sobreviverá? O e-mail marketing ou as redes sociais

Email Marketing | Nenhum comentário

A popularidade das redes sociais é inegável. Além de populares, elas não saem da boca do povo e da pauta de milhões de sites ao redor do mundo. Todos querem estar lá, todos querem aparecer, mas poucos estão tendo proveito com isso.

Há quem diga que o email marketing seja uma ferramenta ultrapassada, que não atinge mais com eficiência seus objetivos e que as redes sociais são “o que há” para chegar ao seu público-alvo. Pode ser, mas falando em números, segundo a agência Focus e do infográfico “O estado da Internet em 2010”, o número de pessoas que usa e-mail é de 1.9 bilhões, o número de mensagens trocadas diariamente é de, aproximadamente, 294 bilhões e em 2010 foram enviados 107 trilhões de e-mails em todo o mundo. Wow, não é?

Outro dado curioso é que, segundo o site Internet World Stats, hoje temos 1.966.514.816 bilhões de pessoas com acesso à Internet no mundo. Sendo assim, é possível visualizar de forma simples o quão importante o e-mail ainda é na vida das pessoas. Mas os tempos são outros, os comportamentos são outros e muitas empresas não acompanharam estas mudanças na hora de criar estratégias de email marketing.

Qual é o problema com o e-mail marketing?

Você pode estar se perguntando: “Mas com todos estes números positivos, qual é o problema com o e-mail marketing?”. O problema está resumido em algumas palavras: planejamento, estratégia, investimento e foco.

Planejamento

A falta de planejamento – também conhecido como a tradicional preguiça – são alguns dos motivos para o e-mail marketing de algumas empresas estar falindo. Sair disparando e-mails sem planejamento é o mesmo que ir a uma praça, subir em um tablado e bradar suas mensagens sem nexo. De duas uma: ou as pessoas o ignorarão ou irão taxá-lo como inconveniente. O planejamento nesta hipótese está em esquematizar seu discurso, para que as pessoas vejam valor em sua mensagem e se interessem pelo o que você tem a dizer.

Estratégia

Mas de nada adianta ter uma boa mensagem se a forma como você a entrega é ruim. Você pode até disparar e-mails como uma metralhadora, assim como profere suas palavras na praça, mas sem uma estratégia consistente, você será mais alguém disparando palavras. Pense em como construir uma base de e-mails qualificada, integre suas estratégias de comunicação on-line com o e-mail marketing e envolva seu cliente em todos os ambientes possíveis. Não fale com ele apenas quando você quer que ele ouça.

Investimento

Aqui investimento não se resume a dinheiro, mas especialmente de tempo. Construir uma boa base de e-mails, manter um relacionamento e entender melhor o comportamento das pessoas que recebem sua mensagem exige tempo e dedicação. Invista sim em ferramentas que ajudarão a inovar em suas mensagens e surpreender seus clientes. Variar suas mensagens e

investir em uma boa apresentação visual e com conteúdo interessante, ajudam a manter o botão “relatar como Spam” longe das pessoas quando sua mensagem chega.

Foco

Já falamos no post “E-mail Marketing 2.0” da importância da segmentação no e-mail marketing. Aqui este tópico volta, pois é um dos principais elementos de sucesso hoje em qualquer campanha que se faz. Segundo André Franken, Diretor Geral da eBehavior, “a segmentação torna o e-mail muito mais atrativo, pois se você enviar um e-mail com ofertas de produtos que aquela pessoa tem interesse ela não vai se incomodar, pois tem interesse no seu conteúdo e a chance de ela clicar e comprar é muito maior”.

Por isso, entregar a mensagem certa para o público certo e não tentar atingir o mundo, mas sim, seus nichos de mercado. Lembre-se que quem quer vender para todos, acaba não vendendo para ninguém. Assim como não é possível fazer um discurso em todas as praças da sua cidade ao mesmo tempo, tentar falar com todas as pessoas e sem segmentação é estar sozinho na multidão.

Vamos deixar claro que…

Todas as ferramentas de comunicação na web têm seu valor. O e-mail marketing foi uma das pioneiras, mas está dividindo espaço com as redes sociais. Isso é natural e, até certo ponto muito bom, pois você já imaginou se TODAS as empresas utilizassem o e-mail marketing? Aqui voltam os quatro tópicos acima, pois seu planejamento, estratégia, investimento e foco irão identificar a necessidade ou não de investir em e-mail marketing ou nas redes sociais.

Publicado originalmente no Blog da eBehavior

Tags:
  • behavior marketing
  • email marketing
  • marketing digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.