Facebook oferece dinheiro para trazer criadores do TikTok para o Reels

Instagram, Notícias | Nenhum comentário

O Facebook estaria oferecendo incentivos financeiros para que grandes criadores de conteúdo deixem de usar o TikTok e passem a utilizar o Reels. As informações são do Wall Street Journal.

Que o Instagram lançou o Reels com o objetivo de concorrer com o TikTok não é novidade. O crescimento do app chinês sempre foi visto como uma ameaça para os negócios das redes da família Facebook.

Para conter essa ameaça, o Instagram teria feito ofertas lucrativas para que, criadores que estão fazendo sucesso no TikTok, mudassem de plataforma e trouxessem seus conteúdos para o Reels.

Saiba mais: Como criar vídeos com o Reels no Instagram

A notícia, divulgada pelo Wall Street Journal, surge poucos dias depois do TikTok anunciar um fundo de $200 milhões para apoiar criadores americanos. Esse fundo tem como objetivo bonificar os grandes produtores de conteúdo da plataforma, fazendo com que eles continuem a produzir.

O TikTok, apesar da grande popularidade, amarga uma fase difícil. Acusações contra a plataforma e o governo chinês colocam em check a credibilidade da ferramenta. Muitas empresas americanas, por exemplo, estariam pedindo que seus colaboradores desinstalem a rede social.

Porém, mesmo com as notícias do banimento do TikTok na Índia, que já anunciamos aqui, o sucesso da rede parece não diminuir. Os vídeos curtos, com dublagens e danças, parecem ter caído no gosto do público.

Saiba mais: TikTok banido: Índia bane o app e Instagram ganha mercado

Mas, para não perder sua fatia de mercado, as redes de Mark Zuckerberg estariam então tentando trazer os principais criadores do TikTok para o Reels.

O grande trunfo da proposta, além da quantia em dinheiro, seriam justamente as acusações de espionagem contra o aplicativo.

Toda essa movimentação acontece justamente no momento em que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e legisladores do país discutem uma possível limitação de acesso de usuários norte-americanos ao TikTok.

Preocupações relacionadas a segurança e privacidade dos dados dos usuários dessa mídia social vêm sendo levantadas. Porém, de acordo com o Wall Street, o TikTok disse anteriormente que nunca forneceu dados dos usuários ao governo chinês e não o fará.

A estratégia do Instagram com o Reels

Munido com as discussões que envolvem o TikTok e com os incentivos financeiros, o Instagram espera trazer para o Reels os principais criadores da concorrente.

Saiba mais: Como criar vídeos com o Reels no Instagram

De acordo com o Wall Street, a ideia é fechar acordos de exclusividade ou pelo menos fazer com que os criadores publiquem seus conteúdos primeiro no Instagram e Facebook.

Os valores das negociações não foram divulgados, mas alguns criadores teriam afirmado ao jornal que foram procurados.

Outros, apesar de não terem recebido propostas, dizem que devem começar a usar o Reels de qualquer maneira.

Facebook Lasso

O Reels não é o primeiro produto lançado pelas empresas de Zuckerberg com recursos como os do TikTok. Em 2018, foi anunciado o lançamento do Facebook Lasso, aplicativo com características muito semelhantes as do app chinês.

O Lasso começou limitado para os Estados Unidos e aos poucos foi expandido, chegando a países como México, Argentina, Peru, Chile, Uruguai e Equador. Aqui no Brasil, ele nunca chegou.

Contudo, apesar dos investimentos recebidos, o Lasso nunca alcançou o sucesso pretendido. Devido a isso, no início desse mês, o Facebook anunciou o encerramento das atividades do app.

O foco então foi direcionado para o Reels, que havia sido anunciado poucos dias antes.

Outros esforços

O fortalecimento do Reels não é a única aposta do Facebook para combater o sucesso do TikTok. Outro app criado pela empresa também foi lançado com esse objetivo: o Collab.

A nova rede social tem diversas características muito semelhantes às do aplicativo chinês. Contudo, vem com a proposta de ser focado exclusivamente para produção e publicação de vídeos de música.

A ideia é que os usuários criem vídeos colaborativos, reunindo gravações de várias pessoas em uma só para criar as canções.

A rede foi lançada em maio desse ano e, por enquanto, para participar é necessário receber um convite.

Tem mais gente interessada

Assim como aconteceu com o formato de vídeos curtos lançados no Snapchat que foi copiado para diversas redes, até mesmo Twitter e LinkedIn, o Instagram não é o único interessado na fatia de mercado atendida pelo TikTok.

Em junho, o YouTube anunciou o desenvolvimento de uma plataforma para fisgar os usuários do aplicativo chinês.

A nova ferramenta deve possibilitar que os criadores gerem conteúdos de 15 segundos que depois poderão ser fundidos para agregar vídeos aos canais do YouTube.

No meio disso tudo ficam o usuários, que passam a contar com cada vez mais alternativas e novidades no mercado digital.

Para as empresas, no entanto, isso significa cada vez mais canais para estar presente, o que envolve mais investimento em conteúdo. O problema é que nem sempre é possível estar em todas as redes com qualidade e consistência.

Saiba mais: Tendências e novidades: 3 ferramentas para monitorar conteúdos

A dica, nesse caso, é avaliar onde o público do seu negócio está e se vale a pena investir tempo e dinheiro só pra não perder a “modinha”de uma nova plataforma.

Você já usa o TikTok ou o Reels? Conta aqui nos comentários.

Tags:
  • social sell
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...

Pesquise no blog

VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...
VOCÊ PODE GOSTAR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.